evangelho do domingo - Comentário

2º domingo do tempo comum

1 Sam. 3, 3b-10.19;  Sl. 39(40);  1 Cor. 6, 13-15a.17-20;  Jo. 1, 35-42

Deus chama o Homem a participar da Sua vida divina e a colaborar na missão de tornar presente o Evangelho no interior de cada um e da sociedade. Deus não precisa do Homem, pois não depende dele para existir nem para ser Deus, mas quer a sua colaboração.

As leituras de hoje falam-nos do chamamento dirigido a duas pessoas: Samuel, no Antigo Testamento, e Simão Pedro, no Novo Testamento. Ambos ouviram a voz de Deus, e ambos responderam generosamente ao apelo que lhes foi dirigido. Samuel dedicou a sua vida a servir o Senhor, quer no Templo de Jerusalém, quer anunciando os desígnios de Deus e convidando o povo à conversão; foi um profeta de relevo na história do povo judeu. Simão Pedro, pescador do lago de Genesaré, deixou tudo para seguir o Senhor, até dar por Ele a própria vida.

Deus continua a chamar pessoas para o serviço da Igreja. Cada batizado é chamado por Deus a exercer uma missão: a de ser presença e atuação de Cristo no mundo. De entre os batizados, chama alguns para exercerem o diaconado; na nossa Diocese, são já muitos os diáconos permanentes que, nas respetivas Paróquias, realizam um trabalho pastoral muito necessário. Chama outros para exercerem o presbiterado; os sacerdotes são ministros dos Sacramentos e da Palavra. Chama outros ainda para exercerem o episcopado; os bispos são os garantes da fidelidade à doutrina original de Cristo e são também os garantes da unidade do Povo de Deus nas suas Dioceses.

Qualquer que seja o tipo de chamamento, o que Deus pede é uma fidelidade absoluta à missão que confia a cada um. Mesmo nas tarefas aparentemente mais modestas, é necessário que cada um se empenhe nelas com a maior seriedade, sabendo que está a exercer um serviço que lhe foi pedido pelo próprio Deus.      Pe Teodoro Sousa

Teodoro Dias de Sousa

Crie o seu site grátisWebnode